Piores Leituras de 2015

Aqui vem o post que eu não gosto nada de fazer, faz-me lembrar os piores livros e o tempo que perdi neles e isso nunca me deixa feliz.

Este ano tive 7 livros com 3 estrelas, 1 livro com 2,5 estrelas e 1 livros com apenas 2 estrelas, o que é raro isto acontecer.

Com 3 estrelas tive:

– Emma Jamvold com Zali Luna: Movie Star, a história não era má mas era muito teen e girava à volta da adoração da rapariga pela estrela de cinema preferida dela, chegou a ser chato (opinião).

– Claudia Gray com Evernight, mais do mesmo, algumas coisas que não faziam sentido para mim, de tudo o que li até agora, este livro é apenas mais um, não me deixou nenhuma lembrança em especial (opinião).

– Charlainne Harris com Sangue Final, para o último livro de uma série tão grande estava à espera de muito melhor. Não sei se for por não ter pegado nesta série há muito tempo e as coisas ficaram meias esquecidas, certo é que este livro deixou-me bastante desapontada (opinião).

– Josephine Angelini com Rowan, bolas para este mini micro livro, eu gosto muito de ler a história com diferentes POVs para poder perceber o ponto de vista de cada personagem mas comprar um ebook que diz que tem 141 páginas e vamos a ver tem umas 28 é de bradar aos céus. Isto é que é ser enganada à força toda, a sorte é a série valer mesmo a pena ler (opinião).

– Victoria Villeneuve com Lost and Found, uma história que tinha muito potencial, o patrão faz um ultimato a uma empregada para ela ir para outra empresa fazer espionagem empresarial, mas que não me disse grande coisa (opinião).

– Chelle Bliss com The Gallos, até gostei de ler este livro mas não houve aquela faísca, está bem escrito é fácil de ler mas… Se calhar vou ler o primeiro livro da série e ver como é que corre (opinião).

– Terry Maggert com Call of Shadows, uma história tão pequenina que não deu sequer para interiorizar o que estava a ler e não me deixou assim com muita vontade de ler mais sobre este mundo.

Com 2,5 estrelas tive Zoe Perdita com Ballet Boys, basicamente descreve uma relação sexual entre dois bailarinos, muito chato de ler, muito pequeno e não me disse nada de nada.

Com apenas 2 estrelinhas tive Chloe Neill com Charmfall, a maior desilusão de todos os tempos, ainda hoje me faz ranger os dentes quando penso neste livro. Uma série que até estava a gostar de ler e depois a autora (se é que posso chamar a isto ser autor) remata tudo neste livro que supostamente é o último da série. Questões que foram levantadas ao longo de 3 livros nunca foram respondidas, personagens que até tinham peso para histórias desapareceram do nada, a autora nunca mais falou delas. Que raio de conclusão é esta? Só não dei menos pontuação porque as personagens principais se mantiveram fiéis ao longo da trilogia mas que porcaria de conclusão, muito mau mesmo. Cheguei ao fim tão frustrada por não ter nenhuma resposta nem ter um final em condições, ou a autora não sabe o que anda a fazer ou então escreveu este livro à pressa sem se importar com mais nada (opinião).

Assim termina a minha lista de piores do ano 2015, espero que 2016 seja bem melhor, pelo menos vou estar mais atenta às pontuações e opiniões dadas aos livros antes de os ler.

Melhores Leituras de 2015

Como prometido, andei a fazer as contas aos livros que tiveram pontuação máxima durante o ano de 2015 e até não está nada mal, de 105 livros lidos, 22 tiveram as estrelinhas todas.

Feliz Natal

Ilona Andrews com Magic Slays e Magic Stars. Já está presente na minha lista de autores favoritos desde que comecei a ler a série.

Sarah J. Maas com Heir of Fire, Assassin’s Blade e A Court of Thorns and Roses. Duas séries diferentes e conseguem ser as duas fantásticas, não tenho dúvidas que vou continuar a ler sempre esta autora.

Catherine Doyle com Vendetta. Uma estreante nestas andanças e que bela estreia, fiquei agarrada à história e às personagens. O segundo livro sai este mês.

Marie Rutkoski com The Winner’s Crime. Continuação de uma série 5 estrelas. O terceiro e último livro saem este ano, espero que esta autora continue com este nível de escrita e que escreva muitas mais séries.

Lili St. Crow com Strange Angels, Betrayals, Jealousy e Defiance. Comecei a ler esta série, primeira vez que li esta autora e encomendei logo os restantes livros, não desapontou em nada.

Danielle L. Jensen com Hidden Huntress. Segundo livro de uma série que estou a seguir com muito entusiasmo e uma autora preferida.

Amy Engel com The Revolution of Ivy. Uma autora que se estreou o ano passado e lançou os dois livros da série no mesmo ano. Como leitora não posso pedir mais 🙂 O primeiro livro teve 4,5 estrelas mas este segundo teve as 5.

Susan Ee com End of Days. O final de uma série que me deixou toda arrepiada. Quero mesmo ler mais livros desta autora.

Jennifer L. Armentrout com Half-Blood. Primeiro livro desta série, comecei por ler uma prequela pequenina em 2014 e fiquei muito curiosa para começar a história e posso dizer que adorei.

Anne Bishop com Letras Escarlates. Anne Bishop dispensa apresentações, já li duas séries dela e amei, simplesmente amei. Este livro não fica atrás, vai sair em português o segundo volume já este mês.

Cassandra Clare com Clockwork Princess. A finalização de uma série tão linda, adoro a autora, adoro as personagens, adoro a história, adoro tudo e aquele final foi de chorar 🙂

Laini Taylor com Days of Blood and Starlight. O segundo volume de uma série bastante intensa. Gosto da escrita da autora mas dos três livros acho que este foi mesmo top.

Marie Hall com Her Mad Hatter. Comecei esta série e adorei mas com muita pena minha o segundo volume já não foi tão interessante. De qualquer das maneiras espero ler o terceiro e tirar as minhas dúvidas.

Lindsay Mead com The Beast. Outra autora estreante e outro livro que me deixou agarradinha ao tablet. Espero pelo segundo livro que não sei quando sai 😦

Kayla Howarth com The Institute e Resistance. Mais uma estreante, estes são o primeiro e segundo livro da série, adorei-os, adorei a Allira, adorei todo o mundo que autora criou. Tive pena de o terceiro não corresponder às expectativas, mas é sem dúvida um autora a seguir.

Todos estes livros fazem parte de séries, nenhum é um stand alone. Este ano li mesmo muito pouco livros que não fizessem parte se séries. Isto complica-me a vida porque se forem bons eu fico agarrada à série e tenho de comprar os livros todos 🙂

Em relação às melhores personagens, tal como em 2014, elas são todas mulheres, adoro-as porque são corajosas, fortes, determinadas e sem papas na língua. São elas Caelena da série Throne of Glass, Feyre da série A Court of Thorns and Roses, Allira da série The Institute, Kate da série Kate Daniels e Tessa da série Infernal Devices.

Para o próximo post vou falar dos piores livros, o que não tenho vontade nenhuma de rever, detesto quando um livro não faz sentido nenhum, mas acontece e tem que se dizer as verdades 😛

 

Balanço Leituras 2015

Mais um ano que passou e embora as leituras não fossem tantas como as que queria também não foram assim tão más.

Li 105 livros, mais do que no ano passado, dá uma média de 8,8 livros por cada mês. Isto tudo num total de 25994 páginas.

Desses 105 livros, 12 são em português e 93 em inglês. Em formato papel li 52 e em ebook li 53, uma coisa que nunca me tinha acontecido, ler mais ebooks do que papel, embora a culpa seja dos freebies da amazon 🙂

Dentro desses todos, o livro com mais páginas foi All I’ve Never Wanted da Ana Huang com 626 e o livro com menos foi Call of Shadows de Terry Maggert com 8 páginas.

Os meses não foram todos iguais, uns foram bons outros nem por isso. Os melhores meses foram Fevereiro e Março, em que li 12 livros mas o mês em que mais páginas li foi em Maio, com 3182. Os piores meses foram Agosto e Outubro em que li apenas 5 livros, não havia mesmo tempo e Outubro foi também o mês em que li menos páginas, só 715.

Em relação às compras não há muita diferença em relação ao ano passado, comprei e comprei e depois não li metade 😦 Em relação aos ebooks perdi a conta em Maio, foram tantos que nem sei 😛 Em formato papel, que continua a ser o meu preferido, comprei 117 livros, 37 em português e 80 em inglês.

Em relação às editoras eu tenho olhado com mais atenção para elas, até porque quando começo uma série prefiro que os livros sejam todos do mesmo tamanho e formato. Das editoras portuguesas a que mais li foi a Saída de Emergência com 8 livros, continua a ser a minha editora preferida e pelo que vi dos lançamentos vai continuar a ser. Das inglesas a Bloomsbury com 6 e a Quercus com 5.

Como é óbvio eu tenho os meus autores preferidos sempre na lista de compras mas vão aparecendo novos e os livros são tão bons que também eles entram para essa lista. Este ano consegui ler 45 novos autores, nada mau. Muitos são para esquecer, outros vou dar um hipótese e claro que existem novos que eu já os marquei. Vou falar disso noutro post.

Dos autores mais lidos temos como sempre a Nora Roberts com 7, Cameron Jace com 6 (sendo ebooks pequeninos que eu li bastante rápido), Lili St. Crow com 5 (comecei e acabei a série) e por fim temos com 4 livros, Autumn Kalquist (uma autora que merece atenção), Ilona Andrews (das minhas preferidas) e Sarah J. Maas (outra autora de topo).

Dos géneros mais lidos destacam-se os Romances com 19 e a Fantasia com 18 livros e se contarmos com os livros que misturam fantasia com vampiros ou anjos ou contos de fadas, esse número sobe para 49. Dos menos lidos tive géneros como mistério e romance histórico (como é que é possível? Eu adoro estes livros 😦 )

Os livros mais lidos, tendo em conta a idade do público alvo, continuam a ser os Young Adult com 63, seguem-se os Adult com 40 e os New Adult com apenas 2.

2015 também foi um ano recheado de séries, comecei 31 novas (se bem que muitas delas não vou voltar a lê-las), continuei de anos anteriores 12, consegui acabar 6 e ainda comecei e acabei, tudo no mesmo ano, outras 6 séries. Por isso, stand alones não li muitos 😛

No próximo post irei fazer um apanhado com os melhores e os piores de 2015.