The Next Always – Opinião

Nora Roberts - The Next AlwaysTítulo: The Next Always (InnBoonsBoro Trilogy #1)

Autor: Nora Roberts

Editora: Berkley

Páginas: 324

Género: Romance; Contemporary

Sinopse: The historic hotel in Boonsboro has endured war and peace, the changing of hands, and even rumored hauntings. Now it’s getting a major face-lift from the Montgomery brothers and their eccentric mother. As the architect in the family, Beckett’s social life consists mostly of talking shop over pizza and beer. But there’s another project he’s got his eye on: the girl he’s been waiting to kiss since he was sixteen.
After losing her husband and returning to her hometown, Clare Brewster soon settles into her life as the mother of three young sons while running the town’s bookstore. Though busy and with little time for romance, Clare is drawn across the street by Beckett’s transformation of the old inn, wanting to take a closer look…at both the building and the man behind it.
With the grand opening inching closer, Beckett is happy to give Clare a private tour – one room at a time, in between blueprint meetings and kindergarten pickups. It’s no first date, but these stolen moments are the beginning of something that could arouse the secret yearning that resides in Clare’s independent heart – and open the door to the extraordinary adventure of what comes next…

Opinião

Um romance à Nora Roberts muito fofo e com muitos ingredientes à mistura que o tornaram tão bom de ler.

Esta trilogia passa-se em BoonsBoro, típica vila em que toda a gente se conhece e se dá bem. Nesta vila há um edifício abandonado que está a ser remodelado para se tornar num hotel e é aqui que entram os três irmãos Montgomery. Claro está que havendo três irmãos também tem de haver três mulheres para se poder formar casais nos próximos livros.

Cada um dos irmãos tem a sua função específica nas obras de remodelação, o Beckett trata dos planos de arquitetura, o Owen trata de toda a burocracia e organiza tudo e o Ryder é o braço forte para o trabalho, ele percebe bem dos detalhes da obra.

Gostei bastante da ligação entre os irmãos, é muito forte e isso transparece nas palavras que lemos. Dão-se bem mas ao mesmo tempo são metediços uns com os outros, umas vezes estão se a insultar e depois protegem-se uns aos outros. É engraçado de ler as interações entre estes três.

A mãe deles é uma castiça, sempre com ideias novas e os filhos estão sempre prontos a fazer-lhe as vontades todas. Irritou-me um bocado o facto dela saber que os filhos estavam cheios de trabalho e só porque lhe surgiu uma ideia nova, eles têm de ir a correr e desdobrar-se em mil braços para conseguir fazer tudo o que ela quer. Sinceramente houve partes em que só me apetecia gritar-lhe para pensar mais nos filhos e menos nos caprichos dela.

Tal como os três irmãos, a ligação entre as três amigas é também antiga, já se conhecem desde adolescentes e sempre se deram bem.

Neste primeiro livro vamos vendo o evoluir da relação entre o Beckett e a Clare, ele sempre teve uma paixoneta por ela desde o liceu e ela, agora que é viúva e tem três filhos, quer dar uma nova oportunidade ao amor. Gostei de ver como eles se foram conhecendo melhor e foram avançando para uma relação. Adorei ver a interação do Beckett com aquelas três pestes, que de um momento para o outro conseguiam ser perfeitos anjos.

Da Clare posso apenas dizer que ela deve ser uma espécie de super mulher, porque cuidar de três crianças sozinha, gerir um negócio, tratar da casa e ainda ter tempo para sair com as amigas e com o Beckett, bolas eu não tenho tempo para nada 🙂

O Beckett é um querido, trata a Clare tão bem e adora os filhos dela, parece que não mas uma mulher com três filhos é bastante bagagem de uma só vez, mas ele encaixa-se perfeitamente, ou isto não fosse um romance tão fofo.

Eu adoro a Lizzie, o fantasma de estimação do hotel, acho que foi um toque de charme para esta história. Foi uma personagem que apareceu pouco mas teve a sua relevância nas partes mais importantes. Deixou-me com muita curiosidade para saber o que lhe aconteceu e se vai conseguir resolver tudo por aqui.

O que não achei assim muito interessante foram todas as descrições que a autora fez sobre a construção do hotel. Cheguei a um ponto que estava cansada de tantos pavimentos e revestimentos e como é que se fazia isto e aquilo. Penso que foi a falha neste livro, pelo menos para mim.

Um bom começo de uma série, já tenho os outros dois livros cá em casa, quando tiver um tempinho vou pô-los na minha lista de leituras, mas agora só para o ano 🙂

goldgoldgoldgoldhalf

Advertisements

One thought on “The Next Always – Opinião

  1. Pingback: Pelo Correio #28 | Anita Days

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s