A Court of Thorns and Roses – Opinião

sarah j. maas - a court of thorns and rosesTítulo: A Court of Thorns and Roses (A Court of Thorns and Roses #1)

Autor: Sarah J. Maas

Editora: Bloomsbury

Páginas: 416

Género: New Adult; Fairy Tale; Retelling

Sinopse: When nineteen-year-old huntress Feyre kills a wolf in the woods, a beast-like creature arrives to demand retribution for it. Dragged to a treacherous magical land she only knows about from legends, Feyre discovers that her captor is not an animal, but Tamlin—one of the lethal, immortal faeries who once ruled their world. As she dwells on his estate, her feelings for Tamlin transform from icy hostility into a fiery passion that burns through every lie and warning she’s been told about the beautiful, dangerous world of the Fae. But an ancient, wicked shadow grows over the faerie lands, and Feyre must find a way to stop it . . . or doom Tamlin—and his world—forever.

Opinião

Adorei, mais uma série desta autora que eu vou continuar a ler. Não sei como esta senhora faz mas o que é certo, é que para mim os livros dela são fantásticos.

Esta história passa-se num mundo em que os Fae, e todo o tipo de fadas, têm mais poder do que os humanos e que estes são relegados para territórios pequenos ou longínquos. É também um retelling do conto da Bela e do Monstro, tendo em conta que o Tamlin e as cortes das fadas estão todas amaldiçoadas e cabe à Feyre quebrar essa maldição, passando por 3 missões para o conseguir fazer.

Adorei este novo mundo, está bem construído e tornou-se tão real que foi muito bom de ler. As personagens são tão diferentes umas das outras e tão completas e complexas que foi fantástico. Só me apetece ler mais sobre elas e sobre este mundo. Quando é que sai o próximo? J

A Feyre é uma rapariga que se tornou dura e fria devido a tudo o que tem passado para ajudar a família. Eles eram abastados mas devido a problemas no negócio do pai, eles ficaram sem nada. Basicamente é a Feyre que sustenta o pai e as duas irmãs, o que não tem sido nada fácil para ela. Ela odeia todas as fadas e, tal como quase todos os humanos, culpa-os pelas condições em que vivem. É por causa deste ódio e das ações que ela tomou, que ela acaba por ir viver para a terra delas, mais propriamente para a Spring Court. É aqui que ela conhece o Tamlin e a relação entre eles evolui e muito bem, gostei de cada cena entre eles, uma relação de ódio que depois se vai transformando em amizade e amor. Foi muito bem criada a relação entre os dois.

Sendo isto um retelling já se sabia desde o princípio que caminhos a história ia percorrer mas o que tornou este livro interessante foram as personagens e todo o mundo envolvido. Houve momentos para rir, momentos para ficar agarrada ao livro e não o querer largar até chegar ao fim daquela cena. Fez-me querer ler sempre mais um bocadinho e quando dava por mim já tinha lido durante umas horar e nem tinha dado por isso.

Há imensas personagens que nos marcam e ficam na memória, o Tamlin é bruto e desajeitado ao início mas depois torna-se romântico e sedutor. O Lucien está sempre a mandar farpas à Feyre e depois ao Tamlin pela relação deles, mas no fim percebe-se que ele gosta deles e ajuda a Feyre no que pode para ela ultrapassar as 3 missões. O Rhysand mal apareceu eu pensei cá para comigo, este rapaz ainda vai dar que falar, e a verdade é que foi isso que aconteceu, eu gostei muito da personagem dele e da relação que ele teve com a Feyre, acho que foi uma mais-valia para o livro. As irmãs da Feyre tão diferentes uma da outra, Elain é doce e completamente aluada e Nesta é tão dura e pragmática como a própria Feyre. Posso dizer que gostei mais da Nesta, ela é uma boa personagem para um livro.

Quem estiver à espera de um livro leve e romântico, este não é bem o caso. Não é um livro sobre fadas boas e todos viveram felizes para sempre, temos momentos duros e de uma violência crua, não é tudo cor-de-rosa J De qualquer das maneiras aconselho este livro a toda a gente, é fantástico e o final deixou-me a puxar os cabelos, que raio foi aquilo? O que é que vai acontecer a seguir? Eu tenho de saber.

Em relação à última conversa entre o Rhysand e a Feyre há muito que ficou por dizer e a parte em que ele vai embora mas fica espantado/assustado quando olha para ela é o cerne de todas as questões. Teorias há muitas, já li de tudo, eu tenho uma e acho que até faz sentido.

Spoiler Alert

A grande questão é se o Rhysand será o outro lado do triângulo amoroso entre a Feyre e o Tamlin, na minha opinião faz sentido porque embora este livro tenha sido sobre a Feyre apaixonar-se pelo Tamlin e fazer as 3 missões para conseguir quebrar a maldição, em parte alguma há aquele sentimento do “true mate”. Por isso, a minha teoria, quando o Rhysand olha para ela no final e tem aquela reação é porque ele percebeu que ela é a sua “true mate”. Ela ama o Tamlin, disso não há qualquer dúvida, mas houve também uma certa aproximação entre ela e o Rhysand durante essas missões e em parte eles até são parecidos, tendo em conta tudo o que passaram. Outra das razões é que ela fez o acordo com ele, em que tinha de passar uma semana por cada mês na corte dele, já se sabe que isso vai dar azo a muita coisa acontecer. A razão final é uma coisa que o Tamlin disse à Feyre, o casamento entre duas pessoas que se amam, torna-se insignificante quando uma delas encontra o seu “true mate”. Depois de saber isso, e tendo em conta que em parte alguma do livro houve a indicação de haver esse sentimento entre o Tamlin e a Feyre, sendo esta humana ou depois de se ter tornado Fae, eu acho que está tudo em aberto.

goldgoldgoldgoldgold

Pelo Correio #14

A semana passada eu não tive quase tempo nenhum para vir aqui ao blog. Espero que esta semana corra melhor.
Em relação aos livros que chegaram pelo correio, também não foi grande coisa.

Catherine Doyle - Vendetta

Vendetta, Blood for Blood #1 da Catherine Doyle

Este livro chamou-me a atenção mal vi a capa e quando li a sinopse só pensei “quero mesmo ler este livro”. É uma história tipo Romeu e Julieta, que envolve as obrigatórias famílias rivais e os dois jovens que se apaixonam. Não sei se o resultado final será igual à original mas espero que fiquem juntos.

Uma vantagem, é que parece que são cinco irmãos, logo vamos ter 5 livros… tão bom 🙂

Entreat Me – Opinião

Grace Draven - Entreat Me

Título: Entreat Me

Autor: Grace Draven

Editora: Kindle

Páginas: 360

Género: Adult; Fairy tale retelling; Fantasy

Sinopse: Afflicted by a centuries-old curse, a warlord slowly surrenders his humanity and descends toward madness. Ballard of Ketach Tor holds no hope of escaping his fate until his son returns home one day, accompanied by a woman of incomparable beauty. His family believes her arrival may herald Ballard’s salvation.
…until they confront her elder sister.
Determined to rescue her sibling from ruin, Louvaen Duenda pursues her to a decrepit castle and discovers a household imprisoned in time. Dark magic, threatening sorcerers, and a malevolent climbing rose with a thirst for blood won’t deter her, but a proud man disfigured by an undying hatred might. Louvaen must decide if loving him will ultimately save him or destroy him.
A tale of vengeance and devotion.

Opinião

Esta é sem dúvida uma história de amor para todos os gostos, porque temos 3 casais, embora só 2 deles tenham mais atenção.

A variedade de personagens não é muita mas a variedade de personalidades é muito grande e isso foi um dos pontos positivos do livro. Gostei de ver a interações entre estas personagens todas.

A Louvaen é formidável, tem sempre resposta rápida para tudo e não tem papas na língua. As respostas dela são sarcásticas e têm sempre a sua piada. Ela não é má, algumas pessoas pensam que sim mas na minha opinião ela é muito senhora do seu nariz, um bocado violenta 😛 mas tem um coração mole quando se fala da irmã e do pai. Além disso é pragmática, o que eu adoro numa personagem.

Ballard é um guerreiro que por amor ao filho sacrificou-se para sofrer a maldição destinada ao rapaz, o que demonstra que mesmo um guerreiro sanguinário e rude é capaz de amar. Custou-me ler sobre o sofrimento dele, esta maldição não é pera doce e é muito difícil de suportar, porque além de ele ser torturado durante os fluxos mais altos de magia, ele começa a ser consumido por ela, fisicamente e psicologicamente. As cenas entre ele e a Louvaen são deliciosas, ela não tem medo dele, nem sente repugnância, o que se torna uma mais-valia para eles se aproximarem.

O Gavin (filho do Ballard) e a Cinnia (irmã da Louvaen) são tão lindos juntos, formam um par mesmo querido. Não temos muitas cenas só deles porque o livro é contado do ponto de vista da Louvaen e do Ballard, mas as cenas que temos são ternas e românticas.

As duas irmãs são totalmente diferentes uma da outra, a Louvaen é uma badass e põe todos na linha, a Cinnia é muito calma e uma rapariga linda e com atitudes muito dóceis. Se bem que eu fiquei positivamente surpreendida quando ela bateu o pé à irmã em relação a querer estar com o Gavin.

Posso dizer que adorei este retelling da Bela e do Monstro, as personagens não são insossas, a história é credível e bem construída e consegue-nos transportar para aquele mundo. Foi sem dúvida uma ótima leitura, só tenho pena de ter deixado o livro tanto tempo à espera.

goldgoldgoldgoldgold

Pelo Correio #13

Isto tem andado parado em relação às compras de livros, mesmo assim chegaram mais alguns cá a casa.

Pelo Correio 15-5-15 (1)

City of Heavenly Fire, The Mortal Instruments #6 da Cassandra Clare

Finalmente consegui comprar este livro, além de ser o último desta série, é a versão hardcover e fica linda na estante.

Pelo Correio 15-5-15 (2)

A Court of Thorns and Roses, A Court of Thorns and Roses #1 da Sarah J. Maas

The Assassin’s Blade, Throne of Glass #0,1-0,5 da Sarah J. Maas

Ora cá estão eles, estes dois livros são de uma das minhas autoras preferidas de sempre. O primeiro livro é uma nova série da autora que eu quero muito ler, enquanto espero pela próximo volume da Throne of Glass, vou-me entretendo com esta.

O segundo livro é uma compilação de short stories da série Throne of Glass, fala da vida da Celaena Sardothien antes dos acontecimentos do primeiro livro, Throne of Glass.

Mal posso esperar por começar a lê-los 🙂

 

 

 

Strange Angels – Opinião

Strange Angels

Título: Strange Angels (Strange Angels #1)

Autor: Lili St. Crow

Editora: Quercus

Páginas: 293

Género: Young Adult; Urban Fantasy

Sinopse: In Strange Angels, Dru Anderson has what her grandmother called “the touch.” (Comes in handy when you’re traveling from town to town with your dad, hunting ghosts, suckers, wulfen, and the occasional zombie.) Then her dad turns up dead—but still walking—and Dru knows she’s next. Even worse, she’s got two guys hungry for her affections, and they’re not about to let the fiercely independent Dru go it alone. Will Dru discover just how special she really is before coming face-to-fang with whatever—orwhoever— is hunting her?

Opinião

Quando comecei a ler este livro a primeira coisa em que pensei foi na série de TV Supernatural (saving people, hunting things, the family business), só por isso ganhou mais atenção. A mãe da personagem principal (Dru) foi morta por uma criatura e o pai dela passou-se e desde então começou a caçar “monstros” e a treinar a Dru para fazer o mesmo.

Adoro a Dru, é uma durona e acho que as atitudes dela são de uma pessoa muito mais velha. Vê-se que ela teve de crescer rapidamente devido à vida que levava com o pai. Não gostei do facto de ela andar sempre a chorar e aos gritos, para uma pessoa que foi treinada desde pequena para lidar com situações destas, ela tem mais sorte do que jeito para se defender.

O Graves, o amigo que ela acabou por fazer, contra a vontade dela, nesta nova cidade é um máximo, adorei o miúdo. Ele é esperto, ele não stressa com as coisas que vê e que a Dru lhe conta e o que mais gostei foi ele querer defender a Dru a todo o custo e querer estar sempre ao lado dela para a apoiar. Acho que uma personagem bem construída e coerente e é um mimo de ler. As cenas entre eles os dois são muito bonitas… tirando quando estão a matar criaturas 😛

O Christophe apareceu a meio do livro e pelo que li pareceu-me o típico rapaz bonito e jeitoso que se sabe desenrascar e sabe muito mais do que toda a gente. Neste momento não sei se gosto dele ou não. Houve muitos segredos/informações que ele não contou à Dru e podia ter contado, ela merecia saber. Por vezes acho que ele tem um motivo por de trás de tudo o que faz, noutras alturas parece que se preocupa realmente com ela. Estou para ver no que isto vai dar.

O que gostei muito na relação entre a Dru e o Graves foi o facto de não haver nenhuma paixão imediata. Mesmo quando aparece o Christophe, ela não se atira de cabeça, admite que ele é giro e assim, mas nada mais. A relação entre ela e os dois rapazes é bastante normal porque ela não dá muita importância a relações amorosas, depois do que se passou com o pai dela e depois de saber que afinal é uma rapariga especial e que tem à perna bastantes criaturas que a querem matar, ela tem mais com que se preocupar. Dos dois rapazes, e realço que eles são muito diferentes um do outro, eu gosto muito do Graves. A relação entre ele e a Dru começa com uma amizade e torna-se uma amizade muito forte, em que eles se protegem um ao outro contra tudo o que vem de fora. Gostei muito de no final ela bater o pé ao Christophe e dizer que se ela vai para algum lado o Graves tem de ir com ela, ela não se quer separar do amigo que fez, achei bonito e espero que a relação entre eles continue a evoluir, pode ser devagar que eu não me importo 😛

Depois de tudo isto posso dizer que gostei bastante deste livro e é uma série que quero muito continuar a ler. Para quem gostar de raparigas fortes e de uma história sem muito romance à mistura este é um bom livro para ler.

goldgoldgoldgoldgold

Wishlist #4

Os meses de Maio e Junho prometem. Vão sair alguns livros que estão na minha wishlist desde que acabei os volumes anteriores e  isso foi há meses atrás.

Pageflex Persona [document: PRS0000037_00034]

Título: Resistance (The Institute #2)

Autor: Kayla Howarth

Editora: Kindle

Género: Young Adult; Dystopia; Fantasy

Data de Lançamento: 14 Maio 2015

Sinopse: It’s what every Defective person wants – freedom, liberation from the Institute.
Allira had her chance. Then why is she still working for them?
It has been three months since she first started working as an agent for the Institute. She’s good at her job. She has to be. There’s too much at stake.
After an arrest goes awry, she’s faced with the possibility of escaping again, and an offer too good to refuse.
Things are meant to be different at the Resistance, everything is meant to be better. But when life is about survival, sacrifices must be made. What will Allira sacrifice for her freedom?

Razões Para Estar na Wishlist

 – É a continuação de um livro que eu adorei, foi sem dúvida uma surpresa e um dos melhores que já li até agora, acho que não é preciso dizer mais nada. Este tem mesmo de vir parar-me às mão ASAP.

 


Danielle L. Jensen - Hidden HuntressTítulo: 
Hidden Huntress (The Malediction Trilogy #2)

Autor: Danielle L. Jensen

Editora: Angry Robot

Género: Young Adult; Fantasy; Magic

Data de Lançamento: 2 Junho 2015

Sinopse: Beneath the mountain, the king’s reign of tyranny is absolute; the one troll with the capacity to challenge him is imprisoned for treason. Cécile has escaped the darkness of Trollus, but she learns all too quickly that she is not beyond the reach of the king’s power. Or his manipulation.
Recovered from her injuries, she now lives with her mother in Trianon and graces the opera stage every night. But by day she searches for the witch who has eluded the trolls for five hundred years. Whether she succeeds or fails, the costs to those she cares about will be high.
To find Anushka, she must delve into magic that is both dark and deadly. But the witch is a clever creature. And Cécile might not just be the hunter. She might also be the hunted…

Razões Para Estar na Wishlist

 – Este é mais uma continuação de um livro espetacular. Estou à espera há um ano, o tempo passa num instante mas nunca rápido o suficiente para poder ler a continuação o mais rápido possível. Este é sem dúvida um dos maiores problemas que eu tenho em ler os livros mal eles saem, já sei que vou ter que esperar um ano ou mais para que o volume seguinte seja publicado.

 

Rosamund Hodge - Crimson BoundTítulo: Crimson Bound

Autor: Rosamund Hodge

Editora: Balzer & Bray/Harperteen

Páginas: 448

Género: Young Adult; Fairy Tale Retelling

Data de Lançamento: 5 Maio 2015

Sinopse: When Rachelle was fifteen, she was good—apprenticed to her aunt and in training to protect her village from dark magic. But she was also reckless— straying from the forest path in search of a way to free her world from the threat of eternal darkness. After an illicit meeting goes dreadfully wrong, Rachelle is forced to make a terrible choice that binds her to the very evil she had hoped to defeat.
Three years later, Rachelle has given her life to serving the realm, fighting deadly creatures in an effort to atone. When the king orders her to guard his son Armand—the man she hates most—Rachelle forces Armand to help her find the legendary sword that might save their world. As the two become unexpected allies, they uncover far-reaching conspiracies, hidden magic, and a love that may be their undoing. In a palace built on unbelievable wealth and dangerous secrets, can Rachelle discover the truth and stop the fall of endless night?
Inspired by the classic fairy tale Little Red Riding Hood, Crimson Bound is an exhilarating tale of darkness, love, and redemption.

Razões Para Estar na Wishlist

– A capa é linda, vai ficar tão bem na minha estante.

– É um stand alone mas segue uma coleção da autora de fairy tales retellings. Já li o primeiro desta série (Cruel Beauty) e achei-o muito bom, contou-nos a história da Bela e do Monstro de forma diferente e bonita. Este livro que acabou de ser publicado conta-nos uma versão do Capuchinho Vermelho, quase de certeza que vou gostar.

Akaela – Opinião

E. E. Giorgi - Akaela

Título: Akaela (Mayake Chronicles #1)

Autor: E. E. Giorgi

Editora: Kindle

Género: Young Adult; Dystopia; Post Apocalyptic; Science-Fiction

Data de Lançamento: 25 de Maio de 2015

Sinopse: Fifteen-year-old Akaela doesn’t know what fear is. She was built this way. But in a world where survival is no longer of the fittest, being fearless can become a deadly curse.
Proud and steeped in tradition, Akaela’s people, the Mayake, are dying. While they carry implanted nanobots and sophisticated chips to compensate for their crippled and diseased bodies, these enhancements come at a price. Aging technology and a lack of resources make the Mayakes vulnerable to their enemies and on the brink of extinction. As the elders cling blindly to the past, the only hope Akaela and her 16-year-old brother Athel have to save their own people is to challenge the system or die trying.

Opinião

Este livro foi uma oferta da autora em troca de uma opinião honesta por volta da data de lançamento dele, 25 de Maio de 2015.

Uma história um pouco diferente do que li até agora. Nunca tinha lido sobre meios humanos e meios robôs, cyborgs, mas posso dizer que gostei bastante.

Esta história passa-se num futuro alternativo em que os humanos foram dizimados por doenças e apenas alguns tinham um gene que lhes permitia sobreviver mas a partir daí foram nascendo sempre com deficiências físicas e necessitavam de próteses.

O povo Mayake tentou sobreviver a partir dessas próteses e da evolução da tecnologia e dos materiais que tinham disponíveis. Isto permitiu que eles aumentassem a capacidade do sistema imunitário com nanobots inseridos no sangue e tornaram-se mais aptos e com características que os humanos nunca tiveram, tal como visão noturna e pernas tipo lâminas que lhes permitem correr mais rápido.

O problema é quando outro povo, os Gaijins, entram em guerra com eles e vencem, deixando-os com um território mínimo e sem possibilidade de saírem de lá, pondo os seus próprios robôs a explorar os recursos daquela terra. Assim, temos o povo Mayake sem recursos e com tecnologia obsoleta e baterias que estão em fim de vida, arriscando-se a morrer aos poucos.

É aqui que entra Akaela e o irmão Athel, são as duas vozes desta história. Temos assim duas perspetivas do que está a acontecer.

Akaela é uma menina muito especial, além de não conseguir ter medo, o que a torna praticamente capaz de fazer tudo o que quer, ainda possui tecnologia que mais nenhum Mayake tem. Quando ela nos retrata o que se está a passar fiquei sempre com a ideia que ela e o irmão não se dão, mas à medida que a história avança consegui perceber que estes dois estão muitos ligados um ao outro e que fariam de tudo para manter o outro em segurança. Que é precisamente isso que acontece algumas vezes.

O Athel é o irmão mais velho e por vezes tenta ser mais mandão para a Akaela, típico de irmãos mais velhos. Gostei de ver as limitações dele, a vontade que ele tem de também não sentir medo para poder ajudar mais nalgumas situações. Acho que esta parte, um bocado invejosa e ao mesmo tempo querer fazer o melhor que pode, é sinal que ele se preocupa e só pensa no bem-estar dos amigos.

Houve algumas surpresas pelo meio por parte de algumas personagens que não estava à espera. Gostava que eles tivessem encontrado o pai deles e os outros embaixadores, fiquei triste com o desfecho desta parte.

O mundo criado pela autora está fantástico, achei-o completamente realista e consigo ver perfeitamente isto a acontecer no futuro. As doenças, as partes mecânicas em simbiose com as partes humanas. A própria cultura do povo Mayake, sempre cheios de medo e com regras muito rígidas, foi tudo coerente.

Em suma, achei um livro fantástico, tem algumas falhas mas no final não são importantes para a história. Aconselho este livro a quem gostar de mundo futuristas e apocalípticos em que as personagens têm de lutar pela sua sobrevivência. Estou ansiosa pelo próximo livro.

goldgoldgoldgoldgold